O Twitter dos presidenciáveis (parte 2-2)

Apesar da baixa audiência e do baixo nível de argumentação no geral, o debate não foi tão ruim. Ainda assim, espero que esquente um pouco com a proximidade das eleições e com pesquisas mais concretas. Dilma visivelmente despreparada, mas evoluindo; Serra visivelmente confiante, mas sem tantas armas na mão; Marina invisível. O destaque foi unânime: Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), não por suas idéias, que são bastante claras e foram bem elucidadas, mas por seu bom humor na interação com o telespectador e com os outros candidatos¹.

Plínio foi ainda o único candidato sem chances aparentes de vitória que conquistou uma cadeira ao lado das figuras de partidos mais relevantes na disputa. Cinco aspirantes ao cargo ficaram de fora do debate – e também do primeiro post sobre o perfil dos presidenciáveis no Twitter. Na medida do possível, é hora de abrir espaço aos demais.

——

Levy Fidelix, do PRTB

– Do mesmo modo que os que seguem, sem “Verified Account”. Afirma-se “Official Twitter Page” na bio, apenas. Segue pouco mais de 6.500 pessoas e possui quase 7.500 seguidores. Já twittou mais de 1.100 vezes.
– Layout simples, tendo a bandeira do Brasil como fundo. A foto do sorridente candidato – seu busto, apenas – exibe uma estranha barra de cor preta, que não aparece quando clicamos para vê-la em seu tamanho original. Então tá.
– O homem do aerotrem² procura não bater apenas nessa tecla, que o transformou em figura célebre no meio eleitoral. Entre respostas, poucos comentários sobre a agenda do dia e muitas críticas. Recentemente, o alvo maior é a ‘grande mídia’, por ser recusar a convidar ele e os demais ignorados aos debates.
– Uma das maiores interações com o público entre os presidenciáveis. Agradece o apoio e complementa idéias de outros usuários. Dá RTs com frequência em qualquer mensagem que cite “@levyfidelix”, até mesmo algumas com ironias bem perceptíveis.

José Maria Eymael, do PSDC

– É o único que segue mais do que é seguido. Cerca de 300 pessoas de diferença entre os 7.100 e 6.800. Faz poucos posts: ainda não chegou aos 700. Como consolo, é de longe o dono do jingle mais grudento³. Sua bio é bem completa e uma olhada rápida parece confirmar o status de ‘perfil pessoal’.
– Layout aposta no branco e é bem limpo. O logotipo da campanha e informações sobre outras mídias sociais completam o visual. A foto do rosto do candidato é correta, mas não está em boa qualidade.
– Faz o básico: comenta a genda, critica a grande mídia por causa da ausência em debates e realiza um pouco de campanha. Se arriscou em alguns posts mais pessoais, mas parece ter colocado a política de vez em primeiro plano.
– Participação com o público também é bem alta. Responde perguntas, confirma que é de fato o candidato e revela propostas ao eleitorado. Recentemente avisou que vai recorrer à Twitcam para uma integração maior – e o povo que acompanhou as transmissões de Roberto Requião (ex-governador do Paraná e candidato ao Senado pelo PMDB) sabe bem como políticos e twitcams geram situações no mínimo…interessantes.

Zé Maria, do PSTU

– Com o povo tomando conhecimento de Plínio como referência de extrema esquerda, Zé Maria acaba correndo um pouco por fora. Segue 71 pessoas e é seguido por quase 2.000. Seus pouco mais de 200 tweets denunciam: só possui a conta desde março. Sua bio é uma prévia das críticas que estão por vir: “o operário que não mudou de lado”.
– Seu layout é simples, mas muito bem feito. A foto de exibição é o rosto do candidato com seu logotipo de campanha, enquanto o papel de parede, que não ocupa toda a tela, mostra Zé Maria na liderança de um comício do partido.
– Fala bastante da agenda e faz “longos mini-discursos” seguidamente. Assim como seus colegas, reclama da ausência nos debates e tenta fortemente chamar o povo à luta contra essa polarização.
– Dá RTs em colegas partidários e responde a poucos eleitores – mas não é possível dizer se por falta de procura ou pouca interação.

Os candidatos Ivan Pinheiro, do PCB, e Rui Costa Pimenta, do PCO, não possuem twitter. De fora nessa disputa, não vamos deixá-los passar em branco: seguem seus sites oficiais de campanha.

http://www.pco.org.br/ruicostapimenta/
http://ivanpinheiropcb21.net/blog/

E você já deu sua contribuição na pesquisa digital realizada com usuários do Twitter? Acesse e conheça a ótima iniciativa do tvoto!

—-

¹ Plínio roubando a cena no debate
² Ê-ê-eymael, um democrata cristão. Desde 1985.
³ Levy e o aerotrem.

Tags: , , , , , ,

Uma resposta to “O Twitter dos presidenciáveis (parte 2-2)”

  1. O Twitter dos presidenciáveis – Edição 2014 | Blog do Nirto Says:

    […] resolvi fazer uma análise bem rasa e objetiva sobre os perfis no Twitter dos candidatos (Parte 1 e Parte 2). Não tá lá essas coisas, as imagens ficaram feias e muita gente ainda estava sem conta por lá. […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: